Tratar pais e filhos na terceira pessoa?

Last modified date

Comment: 1

Eu trato a Caetana na segunda pessoa (por tu) e nunca ninguém o questionou.
Quando a trato na terceira é sinal de que estamos no mau caminho, que é como quem diz no caminho da asneira.
Eu própria era tratada assim pelos meus pais: habitualmente por tu e quando o meu pai começava a frase com ‘a menina não pode…’ pronto, já tinha feito algo que não devia e já ia ser repreendida. Era isso e quando me chamavam Carolina Maria, assim tudo junto [sim, com 6 nomes de batismo não me chamavam pelo nome completo sob pena de, pelo meio, se esquecerem do que me queriam dizer hahaha].
Por outro lado sempre tratei os meus pais na terceira pessoa.
Quando digo na terceira pessoa refiro-me a tratar por você sem utilizar a palavra. Eu pergunto ‘ a mãe quer um gelado?’ e não ‘você quer um gelado?’

Acho que são apenas formas de falar e cada um escolhe aquela como mais se identifica ou como foi habituado

No entanto tenho notado que há muita curiosidade acerca deste assunto quando se trata de pais e filhos novos. Ninguém questiona que se tratem os avós na terceira pessoa, mas questiona-se imenso quando nos referimos aos nossos pais e/ou filhos.
Questionam imenso [principalmente quando era mais nova] o facto de eu tratar a minha mãe por você. Segundo essas pessoas ‘tratar por você cria ali um certo afastamento’ (???)
O mais engraçado é que eu sempre tratei a minha mãe por você e nunca questionei ninguém por tratar a sua mãe por tu, nunca achei sequer que isso fosse sinal de ‘demasiada aproximação’, seguindo a lógica de quem me questiona..
Sinceramente nunca me passou pela cabela tal questão porque sempre encarei como um hábito e, para mim, hábitos não se discutem, respeitam-se.
Da mesma forma que cada um escolhe o que veste e o que come, cada um tem o direito de escolher a forma como fala com os outros, desde que haja respeito que, na minha opinião, não se mede pela forma de tratar na segunda ou terceira pessoa.

E desse lado, de que forma tratam os vossos pais e filhos?

Carolina Valente Pereira

Gosto de ler, escrever, partilhar factos, aventuras, opiniões e brincadeiras

Share

1 Response

  1. Eu trato os meus filhos por tu. Acho mais mimoso e menos cerimonioso . Mais AMOR !!!! Gostei MUITO do artigo . Está muito bem escrito . Continua Carol !!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment