Dia da mulher

Mais um dia que (não) comemoro como o dia dos namorados.
Já comemorei. Já fui jantar só com mulheres. Já deixei de comemorar.
Porque não acho que seja preciso um dia específico para ir jantar só com mulheres e, sinceramente, prefiro um jantar de amigas com as respetivas famílias.
Para quem goste de jantar só com amigas, acho que pode fazê-lo em qualquer dia, não precisa de um dia especial. Não precisa de um motivo. É combinar e ir 😉

Este ano assinalo o dia apenas para vocês. Dou-vos 15% de desconto na minha loja online, em compras superiores a 50€.

O código de desconto é DIADAMULHER, mas é tão válido para mulheres como para homens, dei-lhe esse nome porque é uma promoção válida apenas durante o dia de hoje, o dia a que chamamos dia internacional da mulher.

Voltando ao dia 8 de março acho que não faz sentido haver um dia específico para que a mulher seja bem tratada, principalmente agora, vendo os números de violência doméstica a aumentar a cada dia que passa.
Eu sei que também há violência doméstica em que o homem é a vítima mas, os números assustadores que nos chegam todos os dias, são essencialmente contra as mulheres.
O dia contra a violência doméstica foi assinalado ontem. Esse sim, deve ser assinalado. Todos os dias do ano!
Para mim, o dia da mulher é o mesmo que o do homem, o da criança e até o do animal: todos os dias!

Não ensinemos aos nossos filhos que não se faz mal a uma mulher, vamos antes ensinar-lhes que não se faz mal a ninguém!

Bater é errado! Tanto numa mulher como num homem. A violência não tem sexo nem idade.
Insultar e humilhar verbalmente não é bater mas também é violência. É violência psicológica, que pode ser mais dolorosa que a física. E também essa violência está errada!
É urgente ajudar quem nos rodeia, é urgente que as vítimas de violência doméstica peçam ajuda! Mas também é urgente que os agressores comecem a ser punidos!
Uma pessoa que bate noutra não pode ficar em prisão domiciliária meia dúzia de dias depois do crime. Porque se sair de casa vai preso, mas enquanto sai e é apanhado, já teve tempo de por fim à vida da vítima. Não podemos continuar a permitir este tipo de atitudes.
Não podemos dar botões de pânico a uma vítima e pensar que está segura.
Eu acredito que o alarme seja eficaz para alertar as autoridades. Mas as autoridades não voam e enquanto chegam e não chegam, já pode ser tarde!
A vítima tem de ser sentir segura para poder pedir ajuda. Quantas vítimas já morreram com várias queixas realizadas?
Quantas mais precisam de morrer para que a justiça comece a ser feita?
Não arranjemos um dia para bem tratar a mulher, quando temos 365 para o fazer!

Celebremos quem somos, não apenas hoje, mas TODOS OS DIAS!
O mesmo é válido para o homens. Celebrem quem são, todos os dias!

Carolina Valente Pereira

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment