Trelas infantis

Last modified date

Comments: 0

A Caetana tem duas.

A primeira, comprada numa loja Brinka, tem a função de trela mas também de ajudante de primeiros passos. Chamo-lhe poupa-costas. E só foi usada em dois tipos de situação:
– Como poupa-costas, antes de a Caetana andar;

Acabada de comprar e a ser experimentada

– Sem a corda, só o peitoral, para segurar a Caetana a ver o encerro – para quem não sabe é quando pessoas, a correr e a cavalo, vão buscar bois e os trazem para a praça, antes das Capeias Arraianas.
Assim, pude deixar que estivesse empoleirada no trator e numa grade, porque eu estava a segurá-la sem ter que lhe estragar a camisola! Aliás , a Caetana chegou a pendurar-se com os pés no ar, algo que sem peitoral não teria acontecido. Não digo que sem isto não a colocaria na grade, se calhar colocava na mesma, mas eu teria de estar no chão a segurá-la com as duas mãos].

Empoleirada no trator
Na grade

Desta vez comprei, no meu querido AliExpress, um tipo de ‘trela’ diferente. É uma ‘corda’ que se coloca no pulso do adulto e da criança, extensível até metro e meio.

Assim, quando frequentarmos sítios com mais gente, a Caetana estará mais segura e nós mais descansados. Não servirá para o dia a dia, a não ser por brincadeira.
E porquê a trela e não andar mais em cima dela ou deixá-la no carrinho?
Epah, deixá-la no carrinho esqueçam. Há muito que tirámos as proteção dos braços e a Caetana fica apenas segura por cima da fralda. Ela não se sentia bem e eu não gostava de a ver assim sem vontade nem necessidade.
E agora perguntam vocês ‘Ai a menina é que manda?’ Sim e não. No ovo não manda, vai presa por cima da fralda e nos braços e não há remédio, por uma questão de segurança! No carrinho sim, se ela não se sente bem eu não vejo necessidade de a obrigar a tal.
Andar em cima dela já nós fazemos. A questão é que basta olhar para direita para dizer olá a alguém e já a miúda vai, pelo meio das pessoas, a 1km de distância pela a esquerda.
Até agora, o feedback que tenho recebido sempre que digo que comprei isto é ‘epah isso deve dar imenso jeito e assim não parecem cãezinhos como com as trelas que tenho visto’ e ouvi também ‘ah sim isso deve ser fixe, há imensa gente a usar em festivais e assim’.
Ou seja, mães que sabem que ao mínimo piscar de olhos eles já estão bem longe e/ou perto de algum tipo de perigo e gente que já viu, em locais de muitas pessoas, locais de confusão .
O meu feedback? Para a semana devo experimentar e já vos digo.
Hoje vou só testar, na rua calma, só para perceber a reação da Caetana. Se anda muito ou pouco e, principalmente, se a tira ou nao. Pode até tirar hoje por estar ‘em casa’ e não tirar para a semana, no meio de muita gente.
Só testando e percebendo. Ela tira o chapéu quando não está sol, já percebeu que quando está sol eu insisto e levo a minha teimosia até ao fim, faço questão de dizer ‘tem de ser porque está sol’ e, mal entra nalgum café ou loja tira e dá-me o chapéu. O que me obriga a ser coerente e deixar que o tire em sítios fechados ou à sombra.

E por aí, já conheciam? Qual a vossa opinião?

Se gostaste deste artigo partilha-o nas tuas redes sociais:

Carolina Valente Pereira

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment