Sobre Toxoplasmose

Last modified date

Comments: 0

Eu não sou imune. E, por isso, a alimentação tem sido o meu calcanhar de aquiles durante a gravidez! Ando a exagerar eu sei mas há muita coisa que não como, não só pela Toxoplasmose, mas por prevenção em geral.

O que é a Toxoplasmose?

É uma infecção causada por um parasita. Não é grave para nós enquanto seres humanos, mas pode ser grave para um bebé que esteja dentro do útero materno. Os gatos são os únicos animais domésticos que a transmitem, através das suas fezes. E claro que o risco é maior quando falamos de gatos que saem à rua [nem que seja apenas ao quintal].
Isto não quer dizer que uma grávida não possa ter um gato, não convém é que lhe mude a areia. Se não houver outra hipótese pode fazê-lo, mas convém-lhe usar luvas.
Além dos gatos, a fonte mais comum de infeção são o consumo de carnes cruas ou malpassadas, bem como frutas e hortaliças mal lavadas – daí dizer-se que as grávidas não imunes, não devem comer saladas nem frutas [não descascáveis] fora de casa.

Quem já teve Toxoplasmose fica imune?
Sim. Os sintomas são semelhantes aos de uma gripe, por isso é muito possível já a termos apanhado sem saber. E apanhando-a ficamos imunes.
A Toxoplasmose é perigosa?
Em adultos, os sintomas costumam ser leves e podem incluir gânglios inchados no pescoço, dores de cabeça, dores musculares, fadiga e sensação de gripe. Geralmente aparecem de duas a três semanas depois da exposição à infecção e alguns adultos chegam a não ter qualquer sintoma.
No entanto, para um bebé que esteja no útero materno,os efeitos da toxoplasmose podem ser bem mais graves, variando de acordo com o período da gravidez em que a infecção comece. Quanto mais cedo o bebê for infectado, piores os danos. Uma infecção por toxoplasmose pode levar a um aborto espontâneo ou à morte do bebê no útero, além de poder provocar microcefalia, hidrocefalia (excesso de líquido no cérebro), problemas de visão ou em outros órgãos da criança. Bebês nascidos com toxoplasmose não apresentam, obrigatoriamente, problemas óbvios. Podem desenvolver sintomas, geralmente na visão, durante a infância e até na vida adulta, por isso é essencial que sejam acompanhados de perto.
Como saber se somos ou não imunes?
Os médicos costumam pedir, durante o período pré-natal, um exame específico ao sangue para detectar a imunidade [ou falta dela] à toxoplasmose. Se no resultado não aparecerem anticorpos para a doença, então a grávida não está imune e corre o risco de a apanhar.Para quem nunca teve toxoplasmose, o exame de sangue provavelmente será repetido mais para a frente na gravidez para ter certeza de que não houve contaminação posterior.
Cuidados para grávidas não imunes:
  • Cozinhar bem todas as carnes, já que o parasita pode ser encontrado em carnes cruas ou malpassadas. Lavar bem as mãos depois de mexer em carnes cruas;
  • Lavar bem, em água corrente, frutas e legumes, especialmente as que não se cozinham. Eu coloco ainda umas gotas de Amukina para comer mais descansada. E frutas que possa descascar não penso duas vezes [gosto mais da maçã e da pera com casca mas não arrisco];
  • Não usar a mesma tábua nem faca para cortar carnes e verduras;
  • Se possível, manter carnes cruas congeladas por pelo menos três dias antes de as consumir. Assim matamos os transmissores da doença;
  • Para jardinar, usar luvas e, mesmo assim, lavar bem as mãos pois pode haver fezes de gato no solo;
  • Cuidado se trabalha com animais silvestres ou de quinta;
  • Evite brincar com gatos desconhecidos, bem como cães abandonados;
  • Os cães não transmitem a doença mas podem estar sujos com fezes de gato. Daí também ter cuidado no caso de tem um cão em casa – atenção onde o passeia para não correr o risco de se sujar com fezes de gato.
Cuidados de grávidas não imunes que têm gatos:
Sim, uma grávida pode manter o seu gato, mesmo não sendo imune à toxoplasmose. Aliás, é parvo ridículo se abandonar o seu gato por medo da toxoplasmose.
  • É importante que a caixinha de areia seja completamente limpa todos os dias, porque o parasita precisa de pelo menos 24 horas para se tornar contagioso. De preferência que seja outra pessoa a fazer essa limpeza. Se não puder ser outra pessoa use luvas e, mesmo assim, lave bem as mãos depois;
  • Não dê alimentos crus ao gato e não o deixe sair à rua. Se for impossível impedi-lo de sair para a rua, coloque-lhe um sininho no pescoço para evitar que cace animais possivelmente contaminados como ratos e aves. Neste ponto eu não arriscava – não deixava sair e pronto!
  • Em princípio estes cuidados devem ser suficientes para prevenir o contágio da toxoplasmose, mesmo que o seu gato tenha a doença. Para não ficar com dúvida pode sempre pedir um exame ao veterinário. E mantenha sempre o seu gato bem cuidado, vacinado e vermifugado, com visitas regulares ao veterinário.
Imagem retirada da internet

O mais importante é manter cuidados gerais de higiene em casa e na cozinha. Qualquer pessoa pode trazer fragmentos de fezes de gato na sola do sapato.

Se gostaste deste artigo partilha-o nas tuas redes sociais:

Carolina Valente Pereira

Share

No Responses

  1. Essa questão da imunidade após infecção é importante. Mas , como disse, somente o exame pedido pelo médico pode mostrar o resultado. Informar para ajudar.É a maneira com que nosso website a informação e o compromisso de levar sempre conteúdo confiável e claro ao leitor.

  2. Olá, muito obrigada pelo post. Embora pretenda avançar para uma gravidez tenho evitado excesso de informação para evitar a paranoia. Ontem uma amiga falou-me desta questão, eu não sabia do que se tratava, mas tenho 2 gatos que não abandonarei. Esta parte do post tranquilizou-me 'Cuidados de grávidas não imunes que têm gatos:
    Sim, uma grávida pode manter o seu gato, mesmo não sendo imune à toxoplasmose. Aliás, é parvo ridículo se abandonar o seu gato por medo da toxoplasmose.'

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment