O carrinho da Caetana

Ontem falei-vos dos dois primeiros carrinhos da Caetana. Acredito que há terceira tenha sido de vez e é disso que vos venho falar hoje!

Como vos tinha dito a Caetana precisava de um carrinho leve e que reclinasse. Apesar de ter dois, nenhum cumpria ambas as funções: um era leve, o outro reclinava. Na impossibilidade de fundir um com o outro, tivemos necessidade de comprar um terceiro. Falemos então desta escolha e das minhas primeiras impressões.

A escolha

Nestes assuntos nada melhor do que falar com quem está na mesma situação que nós, de preferência alguém que já tenha algo do género ou pelo menos tenha pesquisado sobre o assunto. Vai daí perguntei a algumas amigas que carrinho tinham e o que achavam deles – todas com filhas de apenas meses de diferença da Caetana. Entre elas duas tinham comprado carrinhos bengala recentemente. Ambas escolheram carrinhos muito semelhantes: o Miinimo da Chicco e o Teeny da Safety 1st. O primeiro com uma barra idêntica ao do Urban da Caetana e cerca de 100€ mais caro que o segundo, que não tem barra de apoio. De resto pareciam ser extremamente semelhantes.

Optei pelo Teeny, da Safety 1st. Não queria dar a minha opinião tão cedo mas a verdade é que os últimos 4 dias foram bastante agitados – e contar-vos-ei tudo num outro artigo – e com frequentes deslocações entre escadas e transportes públicos, por isso acredito que tenham sido um ótimo teste para amar ou detestar um carrinho. Neste caso amei a escolha!

Confesso que ainda não lhe encontrei nenhum defeito. Quanto às qualidades:

  • É estreitinho, passa nos locais comuns, incluindo as passagens para o metro – na estação de metro do oriente as passagens para carrinhos não estavam disponíveis. É certo que teria de haver outra solução mas assim foi bastante mais simples;
  • Reclina completamente permitindo sestas confortáveis;
  • É leve e de fácil condução possibilitando a subida e descida de escadas levantando-o mesmo com a miúda lá dentro;
  • Extremamente fácil de abrir e fechar com apenas uma mão podendo simplesmente tirar a criança, fechar o carrinho e subir ou descer escadas com o carrinho numa mão e a criança na outra;
  • Fechado fica mais ou menos um quadrado, tem as dimensões adequadas para viajar conosco no avião;
  • Trazia uma bolsa de transporte com alça para o levarmos como um saco normal.

Ficámos em casa de uma tia que vive num terceiro andar, sem elevador, saímos assim, sem qualquer dificuldade:

Caetana, carrinho, carteira, saco da caetana, casacos

Para regressarmos a nossa casa, Caetana veio na mochila ergonómica, eu trouxe uma mochila às costas e a minha carteira e, os dois outros sacos vieram literalmente no carrinho:

Com isto tudo arrisco-me mesmo a dizer que, finalmente, encontrámos O carrinho certo!

Para mim, um carrinho destes servirá até aos 5/6 anos. Bem sei que nem as próprias crianças se querem lá com essa idade mas dá jeito quando se vai caminhar mais que o habitual e/ou fora de horas. Será de certeza mais confortável do que a junção de três ou quatro cadeiras como é comum acontecer em casamentos e batizados, por exemplo.

E por aí, que carrinho têm? Estão satisfeitos com a vossa escolha?

Se gostaste deste artigo partilha-o nas tuas redes sociais:

Carolina Valente Pereira

Share

2 Responses

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment